O rótulo de um Vinho é como a capa de um livro

O rótulo de um Vinho é como a capa de um livro

Por vezes, o começo de uma atração por um produto começa pela sua própria imagem, as sensações que nos transmite, a curiosidade que desperta e que capta a atenção logo à primeira vista. A aparência de uma garrafa de vinho não é exceção!

Existem vários formatos destinados ao packaging de um vinho. O mais conhecido pelos consumidores é, sem sombra de dúvida, a combinação da garrafa de vinho e do rótulo.

Entre os elementos-chave para o sucesso de branding de um vinho, estão, decididamente, o conseguir captar a atenção e transmitir segurança em simultâneo.

Mas, se por um lado, esta regra parece simples e fácil de assimilar, tal é apenas na teoria, pois esta revela-se complexa para quem a põe em prática. O desafio está em encontrar o equilíbrio entre os fatores distintivos de um vinho e os elementos centrais que conferem essa mesma segurança ao consumidor. Este é um dos maiores desafios do design, para a comunicação dos vinhos nos próximos anos.

Contudo, o rótulo deverá sempre expressar o carácter de cada vinho e aí residir a génese da sua identidade visual. Um rótulo está para o vinho, como a capa está para um livro. Tal como a capa de um livro, este deverá conter elementos e códigos visuais que sintetizem um vislumbre da história por trás da marca, do vinho ou até mesmo do processo de produção, se esse for o elemento diferenciador face à sua concorrência.

Assim, para conseguir cativar o consumidor e levá-lo a escolher um determinado vinho de entre os vários da prateleira, é necessário criar estímulos: o estímulo da descoberta, da curiosidade, do desejo de saber mais. Porque mais do que na estética da relação entre o rótulo e a garrafa, o sucesso está, na maioria das vezes, na história sobre o vinho que nos é contada.

Como a atração muitas vezes começa no vislumbre de uma imagem, o packaging de um vinho deve ser, simultaneamente apelativo e ser destacado em relação aos restantes concorrentes que também estão expostos na prateleira.

Por isso, antes de lançar um vinho com packaging próprio, é necessário conhecer bem o público-alvo, quais os objetivos estabelecidos e o impacto que pretende alcançar. Profissionais experientes em marketing e branding podem ser uma mais valia para conquistar o sucesso de uma marca de vinhos.

A Equipa da Brandtellers conta com vários anos de experiência em comunicação no setor vínico. Conheça-nos!

João Alçada
Licenciado em design de comunicação, faz parte do universo de agências de publicidade há quase 20 anos.

Desenvolveu diversos projetos de vinhos para marcas como a Aveleda, Vallegre, Ermelinda Freitas, Porto Barros, Burmester, Kopke, Vinhos Verdes,entre outros.

Conta com prémios, nomeadamente, um 1º Prémio no FePi – Primer Festival Internacional de la Publicidad e no Papies 2021, entre outros prémios em festivais como WINAAwards, CCP e Lusos.

Sofia Saraiva
Iniciou o seu percurso no Grupo Vranken Pommery (multinacional Champagne) e Vinhos do Porto Rozès, como marketer, logo após ter terminado a licenciatura em Publicidade e Comunicação em 2000, e depois como marketing manager.

Hugo Ferreira da Silva
Iniciou-se nos Vinhos do Douro e Porto na Castelinho Vinhos, S.A. como assessor de marketing e comunicação. Em contexto de agência já trabalhou diversas marcas do setor vinícola como a Quinta do Portal, Vinhos do Alentejo, IVDP, Vicente Faria, entre outros.

Marco Pinheiro
Licenciado em Novas Tecnologias da Comunicação, iniciou a sua carreira como programador e professor em diversas instituições de ensino em 2005. Foi responsável pelo desenvolvimento de diversos websites do setor dos vinhos como por exemplo, Adega de Monção, Ponte de Lima, Quevedo, Vinho & Sabores e diversas outras Quintas e Adegas.

A Brandtellers é especialista em Marketing e Branding!
Contacte-nos e saiba o que podemos fazer pela sua marca.